10 março 2008

[Certa borboleta...]

Fotografia: ©Carol Timm

Certa borboleta pode ser vista
- Graciosa - nos pampas do Brasil,
Somente ao meio-dia em ponto -
Depois, sua liberdade expira.

E uma especiaria, que eclode e fenece,
À mercê de tua colheita -
Como as estrelas que conheceste à noite
E que, pela manhã, te são alheias.


Emily Dickinson

Um comentário:

Paloma disse...

Ah,eu sou absolutamente fã de E. Dickinson. Acho lindo como ela consegue, so falar de flores, borboletas, abelhas, de jardins, ser absolutamente sensual. Foi com ela que aprendi a ver como a natureza tem um bailado de pura luxúria, tantas e tantas vezes invisível.
Ótima escolha do poema!