17 outubro 2008

Eros e Psique

Pintura: ©Sir John Everett Millais

Conta a lenda que dormia
Uma Princesa encantada
A quem só despertaria
Um Infante, que viria
De além do muro da estrada.

Ele tinha que, tentado,
Vencer o mal e o bem,
Antes que, já libertado,
Deixasse o caminho errado
Por o que à Princesa vem.

A Princesa Adormecida,
Se espera, dormindo espera,
Sonha em morte a sua vida,
E orna-lhe a fronte esquecida,
Verde, uma grinalda de hera.

Longe o Infante, esforçado,
Sem saber que intuito tem,
Rompe o caminho fadado,
Ele dela é ignorado,
Ela para ele é ninguém.

Mas cada um cumpre o Destino
Ela dormindo encantada,
Ele buscando-a sem tino
Pelo processo divino
Que faz existir a estrada.

E, se bem que seja obscuro
Tudo pela estrada fora,
E falso, ele vem seguro,
E vencendo estrada e muro,
Chega onde em sono ela mora,

E, inda tonto do que houvera,
À cabeça, em maresia,
Ergue a mão, e encontra hera,
E vê que ele mesmo era
A Princesa que dormia.

Fernando Pessoa

5 comentários:

.:Melissa:. disse...

"Mas cada um cumpre o Destino"

Carol, que saibamos trilhar nosso caminho seguindo o nosso destino sem medo.

Beijos e um fim de semana de paz.

Mel

Marilac disse...

Carol,
Quanto simbolismo e quanto encanto nesses versos do Fernando Pessoa.

"Pelo processo divino
Que faz existir a estrada..."

A vida é mesmo uma grande aventura!

Linda imagem vc selecionou para este poema.

Bjs
Marilac

Sonia Regly disse...

Carolzinhaaaa,
Tô com sdaudades de vc!!!!Apareça para conhecer o novo visual do Compartilhando as letras.É sempre uma alegria recebê-la.Vou linkar seu lindo Blog,agora aprendi a linkar.Beijão.

livia soares disse...

Encantada com o seu blog. Aqui voltarei mais vezes para me deleitar com as suas postagens.
Um abraço.

www.jcaetano.com.br disse...

Lindoooooo!
sds
Caetano