28 abril 2008

Sem Palavras

Fotografia: ©Rodrigo Bela Vista

A vida inteira busquei
Explicações e deciframentos:
Encontrei silêncio e segredo,
às vezes o conforto de um ombro,
outras vezes
dor.


No último lapso
de um tempo sem limites
- embora a gente o queira compor
em fragmentos -,
abriram-se as águas
e entrei onde sempre estivera.
Tudo compreendido
e absolvido,
absorta eu me tornei
luz sem sombra:
assombro.

©Lya Luft



Nesta noite mágica, (que palavra melhor descreveria esta noite?) em que estivemos ouvindo a Lya Luft, e que após essa adorável conversa com seus leitores, ela autografou seu último livro para mim:
O Silêncio dos Amantes.

Passou tão depressa! Foi pouco mais de uma hora refletindo sobre a vida, o amor, a literatura, a paixão pela escrita... Passou depressa sim, mas foi um tempo muito bem vivido e saboreado por todos nós.

4 comentários:

Marilac disse...

Querida Carol,
Obrigada!
Acabei de ler seu recado, e vim correndo aqui...
Uma palestra com noite de autografos da Lya Luft, que noite mágica deve ter sido!!!Isso é uma das vantagens de morar no Rio!
Vou querer depois saber cada detalhe,viu!
Que mulher incrivel!
Eu adoro a forma como ela parece conversar com os leitores.
Esse livro deve ser maravilhoso!

Abraços.
com carinho,
Marilac

obs: vou entrar em contato com Ana.

Eternessências disse...

Li o seu comentário agora, Carol!
Fico sempre feliz quando você aparece!...
A noite deve ter sido maravilhosa realmente! Também aprecio Lya Luft; acho-a forte, determinada e seus textos são bem consistentes, fazem pensar...
Deixo um beijo e um carinho especial!
Rose.

vendaval com poesias disse...

Olá Carol
que saudades estava eu dos amigos que fiz aqui!
(olha só minha ousadia!)
estou de volta,minha Mel foi-se, passei dias ruins mas agora conformada...
.
Fiquei imaginando esse evento, onde vc esteve com Lya Luft! que coisa boa, deve ter sido algo maravilhoso, e ainda autografou seu livro...
Prena que moro em uma cidadeonde os grandes eventos são quase que inexistentes o que lastimo muito.
(grandes reflexões, e bem vindas por sinal, mesmo sendo apenas uma hora)

um abraço

Anônimo disse...

que mravilha nos trouxe, querida Carol.

Lindo.

beijinho,

***maat