24 novembro 2007

Pequenina Primavera

Ilustração: ©Rebecca Dautremer


por vezes
mesclava-se à paisagem
floria
entre ramos de papoulas
jasmins e romãs maduras.

era quase sempre
ao meio-dia
quando imóvel na piscina
tudo ao redor em si se refletia

numa estranha e colorida simbiose


Márcia Maia



Outras Publicações da Autora em Tábua de Marés e
Mudanças de Ventos

6 comentários:

Rogério Felício disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rogério Felício disse...

Queria agora estar imóvel em uma piscina agora...
Seja sempre bem-vinda!!!
Beijinhos...:-)

*Coloquei seu link no meu blog

Ch disse...

Olá, Carol;
.
Antes, quero agradecer pela simpática visita sua ao senhorial Almofariz, e pelas palavras gentis deixadas em prol dos meus escritos.
.
Assim, vim retribuir-lhe, e já chegando, notei que se respira por aqui uma agradabilíssima brisa [poemas e imagens que se completam conseguem formar juntas uma espécie de sopro, de aragem].
.
O poema de Marcia Maia é de uma placidez encantadora. A imagem que o acompanha deixou-o ainda mais elegante. Gostei!
.
Pretendo voltar a esses domínios.
.
Abraço do
Carlos

Edna B. disse...

Ol� Carol
Cheguei aqui por interm�dio do blog do amigo Ch,
e fiquei literalmente encantada!
belas poesias, imagens
maravilhosas gostei muito em especial do poema
que ilustra essa postagem,
uma simbiose maravilhosa.
Como disse Ch ai em cima, tamb�m estarei de volta, se me permitir.
abra�os

Marilac disse...

Querida Carol,
O lindo poema e a ilustração linda e delicada se complementam!

Vou visitar os blogs que vc indicou para ler outras publicações da autora.


Bjs

Marilac

Analuka disse...

Olá! Em primeiro lugar, venho para agradecer tua visita e palavras gentis. Fiquei desejante de também conhecer teu espaço, e que grata surpresa, descobrir mais um lugar de delicadezas, para encantar e iluminar a alma.
Também pouso aqui para dizer que estarei voltando para novas visitas, assim, deixarei teu blog linkado lá no meu, para facilitar idas, vindas e partilhas...

Aproveito também para dizer que AMEI o poema de Márcia Maia, adorável, e afinado à imagem escolhida, um brinde às flores da alma. Estarei visitando a casa dela, em breve.

Beijos, tingidos de tons de papoulas, uva e romãs...