17 fevereiro 2008

Casa branca

Fotografia: ©Edouard Boubal

Casa branca em frente ao mar enorme,
Com o teu jardim de areia e flocos marinhas
E o teu silêncio intacto em que dorme
O milagre das coisas que eram minhas.

A ti eu voltarei após o incerto
Calor de tantos gestos recebidos
Passados os tumultos e o deserto
Beijados os fantasmas, percorridos
Os murmúrios da terra indefinida.

Em ti renascerei num mundo meu
E a redenção virá nas tuas linhas
Onde nenhuma coisa se perdeu
Do milagre das coisas que eram minhas.



Sophia de Mello Breyner Andresen
in Poesia I (1944)

3 comentários:

adelaide amorim disse...

Lindo o post, Carol! Foto e poema (adoro os poemas de Sophia), não sei qual é mais bonito.
Gosto mais deste template, está muito suave e valoriza os textos e as imagens. Parabéns!
Beijo amigo, querida.

o Cronista disse...

lindo poema!
deu uma vontade de olhar o horizonte da praia!

Lau Siqueira disse...

Carol, n�o sei se gosto mais de te ver por l� ou de me ver aqui. :)